Depois de perder o marido e sete dos dez filhos vítimas da violência na República Democrática do Congo, Joyce Zaninka conseguiu ser enviada para ao campo de refugiados de Nakivale, em Uganda.

Traumatizada com sua própria vida, ela não conseguiu seguir em frente, não confiava nas pessoas, não conversava, estava sempre de cabeça baixa e não conseguia dormir.

Joyce ouviu falar de um grupo de cura para viúvas dentro do campo e conheceu um trabalho evangelístico que mudou sua vida.

A mensagem recebida naquele grupo cortou o sofrimento que ela sentia e Deus começou a trabalhar em seu coração.

Ela aprendeu que Deus caminha ao lado da viúva, entra em sua dor e oferece alegria eterna.

Essas palavras mudaram a vida de Joyce para sempre.

O trabalho é realizado por um parceiro da Sociedade Bíblica Americana que oferece esse grupo de cura bíblico para refugiados que chegam em Uganda sem esperança, com marcas na alma e com muitas mágoas.

Os participantes desse projeto recebem atendimento mental e espiritual através de profissionais voluntários que trabalham usando a Bíblia para oferecer conforto aos que sofrem.

“A necessidade de cura de traumas em Uganda é tão grande”, diz Esther Achieng, diretora de cura de trauma da Sociedade Bíblica de Uganda.

“Há guerras em todos os lugares em nossos países vizinhos.

As pessoas perderam muito.

”Para se ter uma ideia, o campo de refugiados em Nakivale é o oitavo maior do mundo.

Para cuidar dos milhões de refugiados que fogem de atrocidades em sua terra natal, a Sociedade Bíblica de Uganda está equipando os líderes da igreja local a envolver suas comunidades com a mensagem curadora da Palavra de Deus.

“O primeiro lugar [onde as pessoas que sofrem] correm é a igreja”, diz Achieng.

“Portanto, precisamos treinar a igreja em suas comunidades para que as pessoas… possam se identificar com sua dor.

”Joyce conseguiu encontrar descanso após ter um encontro com Cristo e hoje ajuda outros refugiados a se libertarem de seus traumas.

“Depois de obter as lições [de cura do trauma] … sou tão ousado”, diz Joyce.

“Eu posso rir com as pessoas”, relatou ela para a Sociedade Bíblica Americana.

Joyce recentemente se tornou a presidente do mesmo grupo de cura de traumas que mostrava o amor de Deus pelo coração partido.